(In)Decisão

 

Sempre tive dificuldades em fazer escolhas, hoje bem menos que há um tempo, mas, ainda assim em algumas situações comuns perco um tempão para decidir. E olhe que não é em relação a algo mais duradouro como a escolha da profissão, ou algo assim.

Tem dias que saio decidida a comprar roupas vou a uma loja e começo a provar tudo que gostei. Provo uma, duas, três vezes as mesmas. Ai chega o momento terrível. O que levar? Então penso, na dúvida melhor não levar.

Ou quando saio comprar um presente, só quero dar algo que tenha a cara da pessoa. Olho pra uma coisa depois pra outra fico imaginando se realmente a pessoa vai gostar. Bate a incerteza e a vendedora olhando pra mim e eu olhando pra um objeto e pra outro e muitas vezes não levo nenhum dos dois. Saio para procurar outra coisa. Isso é muito a minha cara.

Outra situação é quando estou fazendo a mala pra viajar e o clima está oscilando entre temperatura alta e baixa, sol e chuva. Fico olhando para um tipo de roupa, para outro, penso no sapato na sandália – sem contar a parte de acessórios. Prefiro arrumar a mala com antecedência porque numa situação dessas deixo pra decidir depois.

Escolher óculos é outro dilema. Boto e tiro os mesmos óculos váriaaaaaaaaas vezes. Chego até liberar o vendedor para atender outros clientes e fico provando um, provando outro e outro e outro. Até que o vendedor para se livrar diz: Se a senhora não se adaptar tem quinze dias para trocar. Ufa!! assim fica mais fácil decidir. Quando saio da loja ainda fica a dúvida martelando na minha cabeça. Será se esse ficou melhor mesmo? Até chegar em casa e esquecer os outros. Detalhe, nunca voltei para trocar.

Fico agoniada quando gasto minha energia e tempo com coisas que são simples de decidir. Pra uns né? Mas acontece, e não dá pra negar pelo menos pra mim, nem pra vocês agora.

Com essa história de ter o livre arbítrio, de ser responsável pelas minhas escolhas e pela minha vida às vezes brincava com minhas amigas dizendo que era bem mais fácil quando os pais decidiam tudo por nós até mesmo com quem íamos casar, assim não teríamos esse problema. Claro que isso tudo era apenas brincadeirinha.

Exagero à parte acho uma delícia ser dona e senhora das minhas decisões, mesmo com todo desgaste que é. Ás vezes dá uma canseira, mesmo assim não deixa de ser uma delícia ser a única responsável pelas decisões da minha vida.

Um brinde às nossas decisões que nem sempre são as melhores, mas ainda assim são nossas.

2 comentários sobre “(In)Decisão

  1. Adorei o texto. Sempre muito bom poder escolher qualquer q seja o objeto, o lugar, aquela viagem, a cor q vou usar hj,..
    A (in) decisão está nas nossas mãos assim como o livre arbítrio.
    E viva a indecisão, e que venham as certezas!!! Bjos

    Curtido por 1 pessoa

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s